Pesquise aqui os títulos do blog

Carregando...

sábado, 13 de novembro de 2010

V SALÃO DO AUTOMÓVEL DE 1966 - 2ª PARTE

Prezados amigos e visitantes do blog Showroom Imagens do Passado!

    Nesta postagem vamos para a segunda parte do V Salão do Automóvel de 1966, que aconteceu entre os dias 26 de Novembro e 11 de Dezembro daquele ano, no Parque do Ibirapuera na cidade de São Paulo.



    A General Motors do Brasil, apresentou no V Salão do Automóvel, vários modelos de seus utilitários, modelos esses já conhecidos e aprovados pelo grande público.
    Os produtos exibidos foram,  a caminhonete C-1416, que foi apresentada primeiramente dois anos antes no IV Salão do Automóvel de 1964.
    Além disso também estavam expostos, a caminhonete C-1414 de cabina dupla, a pick-up C-1404, a C-1504 e o caminhão C-65 com motores a gasolina ou diesel.


Novo painel de instrumentos, simples e funcional, mostrava o marcador do nível de combustíveis, pressão do óleo, amperímetro e temperatura.

    Algumas da novidades da linha de utilitários " C " da GM, foi a nova grade dianteira, que agora tinha apenas dois faróis, separadas por membros horizontais.
    Além disso o painel de instrumentos foi remodelado, ficando mais bonito e também oferecendo maiores condições de visibilidade.

    No maravilhoso estande da Simca do Brasil, uma grande surpresa foi apresentada pela empresa.
   
    Foi apresentado neste salão o Esplanada, veículo que foi lançado para substituir em definitivo os modelos Rallye e Présidence, reunindo os mais modernos requisitos de conforto e desempenho mecânico.
    O Esplanada trouxe um novo desenho tanto na dianteira quanto na traseira do veículo.
    Além disso o motor agora era mais potente com 140 H.P. apresentando oito novas cores metalizadas, além da versão 3M convencional, o Esplanada  seria fábricado no modelo 6M, com caixa de câmbio de 6 marchas, as três excedentes acionadas por comando elétrico.
    A Simca, na ocasião já estava sob o controle acionário da Chrysler International, e continuaria produzindo o Chambord e a caminhonete Jangada, além do Esplanada.
    O Chambord manteria as características básicas dos modelos antecessores, com motor Emi-Sul.
    Internamente, foi melhorada a posição dos assentos,  que acabou deixando o carro mais espaçoso.
    O Simca Chambord, foi apresentado em sete novas cores, permitindo 13 combinações diferentes.
    Os frisos laterais foram modificados, sendo agora paralelos e horizontais, existindo  mais frisos horizontais acima de cada pára-lama traseiro e um no porta-malas.
    A Simca Jangada 1967 foi apresentada com motor mais potente (130 H.P.) e com a carroceria modificada com relação aos modelos anteriores.
    Eram seis as combinações de cores e as características técnicas eram idênticas às do Chambord.


Esplanada, o novo modelo da Simca do Brasil, no ponto mais alto do seu estande.
Esplanada 1967, com teto de vinil, grande raridade nos dias de hoje, se alguém tem alguma por favor preserve.


   

    A Scania - Vabis apresentou seus novos caminhões, com novas cabinas e também seus chassis para ônibus com linhas modernas e luxuosas.
    Entre os vários melhoramentos introduzidos nos novos caminhões da Scania - Vabis, destacava-se: a cabina mais reforçada, a maior largura na altura dos bancos, portas, pára-brisas e janelas maiores, novos vidros nos cantos traseiros, novo painel de instrumentos com revestimento estofado na parte superior, novo medidor de rotações do motor, caixa de ferramentas embutida logo abaixo do banco do ajudante, dois espelhos retrovisores maiores, chapas revestidas de material isolante acústico e térmico, revestimento interno de material plástico.  A Scania - Vabis, também introduziu o sistema de direção hidráulica como equipamento standard, nos chassis de ônibus e este íten passou a ser opcional nos caminhões.
    A direção era fabricada pela ZF, sendo a caixa de direção um conjunto mecânico com a parte hidráulica acionada diretamente por uma das engrenagens de distribuição do motor.
    No caso dos caminhões, além das vantagens de segurança e conforto, a direção hidráulica assegurava ainda melhor distribuição entre eixos da carga que recaia sobre o eixo dianteiro.



    No V Salão do Automóvel, a Volkswagen compareceu com uma novidade, uma pick-up, derivada da Kombi.
    Para facilitar o trabalho do motorista este novo veículo da Volkswagen, tinha espelho retrovisor instalado no lado direito e a plataforma de carga media 1,885 metros de largura por 2,750 metros de comprimento e 400 milímetros de altura.
    Esta pick-up derivada da Kombi tinha porta-malas inferior, no lado direito, medindo 1.240 metros de largura por 1,615 metros de comprimento e 470 milímetros de altura.
    Além da pick-up Kombi,  a Volkswagen esteve presente com seus modelos tradicionais, mas expondo-os  em um estande muito interessante, onde os visitantes tiveram a oportunidade de sentir como era por dentro uma indústria automobilística.
    Em vinte minutos era feita uma visita que demoraria um dia inteiro para ser feita na fábrica de São Bernardo do Campo. O estande tinha 1717 m²  e era uma miniatura da fábrica da Volkswagen.
    Lá estavam expostos dezoito Volkswagen Sedãns, Kombis e Karmann-Ghias.

No estande da Volkswagen, uma mini linha de montagem foi instalada para que os visitantes tivessem idéia de como era a produção dos carros da empresa.

    O estande tinha 8 metros de altura e dois pavimentos, no térreo ficava a mostra da fábrica e no andar superiror encontrava-se as salas de recepção.



    A Carrocerias Grassi também esteve presente no V Salão do Automóvel de 1966, apresentando muitas novidades no seu estande.
    Umas dessas novidades era uma carroceria de ônibus rodoviário de alto luxo, montada sobre um chassi Scania-Vabis.
    Esta nova carroceria , foi desenvolvida para atender ao imenso fluxo das viagens rodoviárias de longo percurso. A estrutura desta carroceria era revestida por duplas chapas de alumínio, o qual era quimicamente tratado contra a oxidação, sua janelas tinham 1,83 metros de vão, rádio, poltronas reclináveis tipo "Pulman" , " Toilette" e bar, além de outros melhoramentos.
    Outra carroceria exposta no estande da Carrocerias Grassi, estava montada sobre um chassi Mercedes-Benz e também era de alto luxo, porém voltada para viagens de curta e média distância.
    Outra atração do estande era uma carroceria urbana, sem chassi, que ficou suspensa mostrando como o pré-fabricado poderia ser montado no chassi em poucas horas.

    O ônibus rodoviário superluxo da Carrocerias Caio, também era destinado a viagens de longo percurso e apresentou tudo que existia de mais moderno em conforto e eficiência: Tinha 19 poltronas-leito, com seis posições de reclinação graduáveis, tinha toilette, serviço de lanche e café, botão de chamada e luz para leitura individual, instalação de rádio broadcast e microfone com alto falante.
    As poltronas e cortinas eram revestidas de veludo.
    O sistema de renovação de ar interno era feito por centrifugação elétrica e também tinha exaustão de ar geral e uma separada para a toilette.
    A carroceria especial foi construída sobre chassi Scania-Vabis L-76 alongado para 6.650 metros entre eixos.
    A cabine do motorista era isolada e poderia ser instalado um beliche para o outro motorista em viagens longas. Com poltronas comuns poderia levar 38 passageiros.


















    Na foto superior da direita visão do interior do ônibus interestadual da Caio, na foto da esquerda o café quente e os primeiros socorros que não foram esquecidos pela CAIO e na foto acima o modelo do ônibus.



    A Mercedes-Benz do Brasil , apresentou no V Salão do Automóvel o seu novo ônibus monobloco rodoviário denominado 0-326, que complementou a sua grande linha de veículos para transporte de passageiros.
    Este novo monobloco era dotado do motor OM-326 de 200 H.P. a 2.200 r.p.m.m. já amplamente aprovado em milhares de caminhões pesados LP-311.
    Além de aproveitar as melhores características dos monoblocos 0-321 - HL - distribuição de peso entre eixos, acessibilidade de reposição dos componentes de transmissão, suspensão, direção e freios, o novo ônibus 0-326 teve infra-estrutura redesenhada para maior resistência e estabilidade, apresentando ainda outras modificações como faróis alongados, novos limpadores de pára-brisa, poltronas, ventilação etc.
    Os pneus foram também fixados na medida de 9,00 x 20,00" para melhor atender às exigências de desempenho do veículo com seu custo operacional.
    No estande da Mercedes - Benz do Brasil, estavam expostos dois exemplares deste novo ônibus monobloco.
    Um equipado com poltronas reclináveis e outro com poltronas leito com menor lotação.

Nova frente do ônibus monobloco da Mercedes-Benz do Brasil e foto interna mostrando as confortáveis poltronas.

Carroceria Ciferal sobre chassi FNM.

    A Carrocerias CIFERAL também esteve presente no V Salão do Automóvel, e apresentou assim como as demais empresas de carrocerias para ônibus rodoviários o seu modelo.
    Exposto no alto do estande da empresa estava o que foi considerado até então a mais luxuosa e confortável carroceria construída no Brasil.
    Algumas das características desse modelo eram:

* Primeiro ônibus brasileiro com sistema de ar condicionado individual para cada passageiro;
* Salão de estar e fumar, com conjunto de poltronas e mesinhas, isolado do salão de passageiros;
* Sistema de comunicação do motorista com os passageiros por sistema de rádio com alto-falantes nos dois ambientes do ônibus.
* Revolucionário sistema de sinalização no conjunto para lanternas traseiras, de freio, estacionamento e pisca-pisca.
* Modernas poltronas- leito amplas e confortáveis;
* Iluminação com foco destinado para leitura;
* Equipamento para fornecimento de bebidas geladas e cafézinho;
* Toillete com tomada para barbeador elétrico;
* Vidros ray-ban nas janelas panorâmicas e pára-brisas com vidro blindex de segurança;
* Compartimento de carga transversais que passavam de um lado a outro do veículo.
* Faróis retangulares;

Na parte interna, muito conforto e exclusividade estavam disponíveis na então considerada mais moderna carroceria de ônibus fabricada no Brasil.


No compartimento de carga, muito espaço para as bagagens.

A Toyota também este presente no V Salão do Automóvel, apresentando como novidade o carro da foto acima ao lado de seus modelos já conhecidos.

   
   A Karmann-Ghia também este presente no V Salão do Automóvel mostrando como era acoplada a carroceria do carro ao chassi Volkswagen, bem como o ferramental utilizado para a confecção de peças do Ford Galaxie.
   A Karmann-Ghia possuía uma das maiores ferramentarias da América Latina.


Na foto do lado esquerdo a fresadora-copiadora portal da Karmann-Ghia, que produzia peças como os pára-lamas dianteiros do recém lançado Ford Galaxie, entre outras peças


    A Gurgel  apresentou no V Salão do Automóvel um novo veículo que a empresa nomeou como Gurgel 1200, em quatro versões: Ipanema,  Augusta , Xavante e Enseada
   O Gurgel 1200 possuia carroceria  de feita em fiberglass sobre chassi e componentes mecânicos Volkswagen.
   Este veículo deveria ser produzido em  uma razão de 5 ou 6 unidades mensais, calculando-se seu custo abaixo do preço do sedan VW.

    Nos modelos Ipanema e Enseada, o Gurgel 1200 é um veículo conversível de quatro lugares, com amplo espaço para equipamento de caça submarina, golfe, esqui-aquático, tênis, etc.
    O Xavante, com ou sem capota, é um perfeito  utilitário, podendo sua traseira ser transformada em bagageiro suplementar.

    No estande da EFECÊ EDITORA S/A, estava exposto o Fórmula V fabricado pelos irmãos Emerson e Wilson Fittipaldi Jr. .


    A Valmet, que já estava instalada no Brasil desde 1960, apresentou no V Salão do Automóvel , seu trator Valmet 600 - D que, embora com o mesmo aspecto anterior, apresentou uma série de inovações visando a melhoria de suas características de resistência, durabilidade e funcionamento.
    Entre as modificações introduzidas no Valmet 600 - D, estavam uma nova luva de acoplamento, retentor de feltro no suporte da manga de eixo, nova manga de eixo e braço da direção, novo retentor de óleo para o eixo de comando do hidráulico, válvula de segurança no encosto do pistão, limitador para o pedal da embreagem entre outros ítens.


_________________________________________________________________________________


Prezados amigos e visitantes do Blog Showroom Imagens do Passado:

O texto e as fotos mostradas nesta postagem foram baseados e extraídos respectivamente dos três exemplares acima, como também dos livros: Dodge -Esportividade e Potência,
Simca - A história desde as origens e o Salão do Automóvel - Trinta Anos de História.
__________________________________________________________________________________


Showroom Imagens do Passado resgatando histórias

Por favor deixe o seu comentário!
A sua opnião é muito importante para nós.
Atenciosamente: Administradores do Blog Showroom Imagens do Passado.

COLABORE VOCÊ TAMBÉM!
ENVIE SUAS FOTOS ANTIGAS PARA:



Revista 4 Rodas - 50 Anos


3 comentários:

carlos disse...

Parabens desde Espanha,:Muito interessante, a producçao basileira é completamente desconhezida na europa. Além disso só um dos pocos que tiveram um VW SP-2 por cà.
Saludos
Carlos

Anônimo disse...

Muito boa esta postagem. O Gurgel Ipanema é um carrinho muito simpático, colecionável nacional com certeza. O maior desafio hoje, seria encontrar um legítimo GURGEL BUGATO. Se não encontrar um, vou fabricar artesanalmente nos moldes originais.de JUAREZ

Anônimo disse...

Obrigado !
Fotos dos primeiros salões não são muito comuns, e suas postagens são importantíssimas.
Obrigado !

W. Gustavo

www.antigosdeitaipu.com.br