Pesquise aqui os títulos do blog

Carregando...

sábado, 4 de setembro de 2010

Salão do Automóvel Trinta Anos de História - 4ª Parte



III Salão do Automóvel de 1962

Prezados amigos e visitantes do blog Showroom Imagens do Passado
   

    Dando continuidade as postagens sobre os Trinta Anos do Salão do Automóvel, que foram iniciadas após nós recebermos uma colaboração de muito valor do nosso amigo e colaborador o Sr. Artur Santieiro, vamos falar hoje sobre o III Salão do Automóvel que aconteceu no ano de 1962.
    O III Salão do Automóvel, foi considerado até então o melhor entre todas a edições anteriores. Tudo isso considerando o número de novidades e a importância delas.
    Foi celebrada naquela ocasião a marca de 97% da nacionalização dos veículos.
    O público respondeu magnificamente ao esforço dos fabricantes. mostrando todo o seu interesse e admiração.
    Somente nos três primeiros dias  cerca de 150 mil pessoas visitaram o evento, e no final dos quinze dias de exposição cerca de 750 mil pessoas percorreram os corredores e estandes dos expositores. À partir deste evento o salão do automóvel passou a acontecer a cada dois anos.
    Entre os destaques expostos no III Salão do Automóvel estavam o Aero Willys 2600 ( apresentado também no Salão de Paris), a Perua Simca Jangada, o esportivo VW Karmann-Guia, o DKW Fissore, e o Scania-Wabis L-75.
    A Toyota mostrou o Bandeirante, a Mercedes - Benz seu primeiro ônibus de turismo (com geladeira e sanitário), a Ford trouxe seu trator 8 - BR, a Caterpillar, o modelo Traxcavator e a Hubber Warco, a motoniveladora HD.

    Nesta foto nós temos uma vista panorâmica do III Salão do Automóvel no ano de 1962, mostrando todo o estande da Vemag naquele ano.

    Foi no III Salão do Automóvel de 1962 que a Vemag apresentou o DKW Fissore.
    O Vemag-Fissore, é um carro de luxo apresentado no III Salão do Automóvel no estande da Vemag S.A.
   A história do DKW-Fissore alia a empresa Italiana de carrocerias Fissore e a DKW-Vemag.
   Foi dessa forma que surgiu o DKW-Fissore, com carroceria exclusiva, características luxuosas e requintadas.
   O estande da Vemag, estava em uma área de 500 metros quadrados, apresentava em lugar nobre o Vemag-Fissore, ao lado dos modelos mais conhecidos, tais como : Candango, Belcar - Táxi, Belcar - Luxo, Vemaget e na parte central um trator Massey - Ferguson e uma carreta com peças genuínas Vemag.
   Indicando assim a dupla finalidade dessa fábrica tanto para construção de carros de passeio como máquinas agrícolas.

    Essa outra foto do estande da Vemag mostra  a versão Taxi e veio do blog Antigos Verde Amarelo, administrado por um dos pioneiros no resgate das fotos antigas.
    O Guilherme da Costa Gomes que também luta em prol do resgate das fotos de salões do automóvel.




Apesar de já ser conhecido, o Willys Interlagos Berlineta também foi uma grande atração do estande da Willys, junto com o Aero-Willys 2600.


    O estande da Willys Overland do Brasil, foi elaborado pelos arquitetos Maurício Nogueira Lima, Haroldo Gronsteim e Pires de Melo, que mantiveram o cinema criado no II Salão do Automóvel para exibição de filmes sobre o funcionamento da WOB. 
     Ficou a cargo da Willys Overland do Brasil apresentar uma das maiores atrações do III Salão do Automóvel, o Aero-Willys 2600, totalmente nacional, idealizado e construído depois de muitos estudos em São Bernardo do Campo/SP.
    Apresentado pela Srta. Maria Olívia Rebouças "Mis Brasil 62", o Aero - Willys 2600 trouxe características novas e inéditas em relação ao seu antecessor,desenho, carroceria, acessórios, tudo era novo.
    Exposto em uma posição de honra dentro do estande da Willys-Overland do Brasil, o Aero-Willys 2600 que já havia sido exposto no Salão do Automóvel de Paris, despertou grande interesse e curiosidade dos visitantes, tudo isso devido as grandes inovações que o veículo trazia.
    Ao lado do mais novo produto da Willys Overland do Brasil, também estavam expostos no estande de 1650 metros quadrados, cerca de 20 veículos, além dos produtos da Divisão de Fundição Taubaté.
    Nesse grande espaço também estavam expostos os outros veículos da marca, como os jipes, perua Rural, Dauphine, Gordini, Interlagos e a pick-up Willys.
    

    No estande de 500 metros quadrados da Simca do Brasil no III Salão do Automóvel, um lago artificial com uma jangada nordestina com as velas abertas, faziam parte da decoração.
    Ao lado da jangada nordestina, o mais novo modelo da Simca do Brasil, uma bela "perua", elegante e versátil.
    Veículo este construído em São Bernardo do Campo/SP, versão brasileira da Marly já muito conhecida na Europa.
    Duas Simca Jangada foram expostas no estande da Simca do Brasil, no III Salão do Automóvel, além de um Simca Chambord, um Simca Presidence e um Simca Rallye.
    Para a celebração de lançamento da Simca Jangada no III Salão do Automóvel, a diretoria da fábrica, convidou a Srta. Rita Nóbrega de Mello, então " Miss " Ceará, para madrinha do carro que representava um motivo típico do seu estado.
    Além disso a Simca do Brasil, também levou ao seu estande o Simca Chambord, que participou do " Raid dos Três Continentes " .


    O lançamento da nova linha de produtos da General Motors, acabou coincidindo com o III Salão de Automóveis.
    Totalmente redesenhados, os caminhões e camionetas Chevrolet apresentaram uma série de melhorias, entre eles os faróis quádruplos, vidro traseiro em duas partes, permitindo melhor visibilidade e novo método de fixação da gabine ao chassi, dando mais robustez ao conjunto.

    Para os novos modelos utilitários da General Motors do Brasil estava disponível uma série de chassis especiais, entre eles:

    * Três modelos de chassi pesados:
   
    Chassi 6403 - Que podia ser empregado como caminhão basculante, coleta de lixo, carro de bombeiros, guincho, cavalo mecânico e furgão pesado.
    Chassi 6502 - Voltado para o encarroçamento de veículos de transporte público.
    Chassi 6503 - Caminhão para transportes em geral
   
    Para o chassi leve existiam as seguintes versões:

    Chassi 3104 - Camioneta " Pick-up"
    Chassi 3105 - Furgão ou ambulância
    Chassi 3114 - Cabine dupla, ou seja um misto de  " pick-up " e "perua", pois acomodava seis pessoas em dois bancos ( com três portas ) e ainda possuía espaço traseiro para carga.
    Chassi 3116 - " Perua" para oito passageiros e bagagem.


     A Carrocerias Caio, também compareceu ao III Salão do Automóvel com dois veículos em seu próprio estande e mais dois expostos em áreas de outras indústrias.
     Uma boa novidade apresentada pela Companhia Americana Indústrial de Ônibus, foi um ônibus elétrico construído quase que totalmente com material nacional.
     Este ônibus comportava 120 passageiros (50 sentados) e era provido de um conjunto propulsor nacional da Villares S.A., possuindo um motor de 140 HP, possuindo também três portas, janelas panorâmicas e revestimento externo de chapas. A fábrica mostrou também um ônibus diesel  rodoviário com chassi Mercedes, além de dois outros ônibus rodoviários que foram expostos nos estandes da Scania-Vabis e da Ford do Brasil, com chassi das respectivas marcas.


     No III Salão do Automóvel de 1962, mais uma vez a Volkswagen do Brasil primou pelos detalhes.
     Seu estande o útlimo do salão do automóvel, ocupou uma área de 1400 metros quadrados, expondo cerca de 15 veículos, uma linha de montagem parcial, bar, exposição de carrocerias da Cama Bruno S/A e uma série de motores Volkswagen com várias finalidades.
     A Volkswagen do Brasil, também apresentou duas inovações, que foram incorporadas aos seus veículos no ano de 1963
     A primeira dessas inovações foi feita no próprio sedãn, agora as janelas laterais traseiras poderiam ser abertas adotando o mesmo sistema que as da perua Kombi.

      A segunda inovação foi feita na perua Kombi, com a modificação da área envidraçada, essas inovações foram feitas  devido a necessidade de maior visibilidade para os proprietários e de ventilação nos sedans.
      Agora além de terem um vidro traseiro ampliado, as novas Kombis ganharam um par de janelas laterais, além das janelas nas extremidades traseiras, eliminando assim os " cantos mortos " que tanto dificultavam as manobras.
      Demonstrando ainda a grande versatilidade da Kombi, a Volkswagen do Brasil, expôs no seu estande uma linha completa de " peruas ", com adaptações para turismo, ambulância, frigorifico com capacidade para 2,5 metros cúbicos de carga, biblioteca, gabinete dentário, oficina de qualquer tipo, na versão de seis portas e a do tipo luxo.

Apesar de já ser conhecido do público brasileiro, o Karmann-guia, que foi lançado logo após o II Salão do Automóvel de 1961, foi oficialmente lançado no III Salão do Automóvel em 1962.


     A Toyota do Brasil S/A, compareceu ao III Salão do Automóvel de 1962 com duas novidades.
     A primeira delas era uma capota de aço para os seu jipes feita pela Carbruno e a segunda um Jipe mais comprido também com capota de aço.



     No estande de 120 metros quadrados da International Harvester Máquinas S/A, foi apresentado o chassi construído especialmente para ônibus.
     Também estava exposto o já conhecido caminhão NV-184, acionado pelo motor de 8 cilindros em " V " e válvulas no cabeçote, que desenvolvia 180 H.P. a 4800 r.p.m. com uma carroceria especial para coleta de lixo.

Mercedes - Benz e seu primeiro ônibus para turismo


     O estande da Mercedes-Benz, apesar de simples era ao mesmo tempo, muito bonito, como nós podemos ver na primeira foto.
     Um pequeno lago artificial, antecedia o local onde estava exposto o novo veículo da marca.    Exposto no estande interno da Mercedes - Benz do Brasil estava o primeiro ônibus para turismo em longas distãncias.
     Encarroçado pela Carbruno este modelo de ônibus trazia o máximo de comodidade para seus ocupantes, contando também com bar, cama, banheiro, geladeira, aquecedor, mesas desmontáveis, fogões e sistema sonoro especial.
     Este ônibus, que  foi apontado como um dos veículos mais modernos produzidos no país, tinha capacidade para trinta pessoas e a sua produção era de 130 unidades mensais.
     E no estande externo também estavam expostos quatro caminhões com
carrocerias especiais sendo eles:

    LPS - 331 - Frígorifico com capacidade para 12,5 toneladas de peixe.
    LPS - 331 - Boiadeiro, que podia transportar 22 cabeças de gado.
    LPS - 331 - Semi-trailer basculante que proporcionava a descarga lateral
    LAP - 331 - Com tração nas quatro rodas e apresentando cabine especial com leito para quatro pessoas.


     No estande da Moplast, além dos já conhecidos Kart e Gurgel Jr., também estavam expostos dois novos produtos eram eles o novo Kart SS e o " Mocar ", veículo de quatro rodas, construído especialmente para o transporte interno de pessoas e de cargas.

Moldex - Esportivo Nacional

     O Moldex era um carro esportivo construído em fibra de vidro, sobre um chassi DKW, conservando todas as características originais porém com uma nova roupagem.
     O protótipo desse carro foi apresentado no II Salão do Automóvel em 1961 e no III Salão do Automóvel em 1962 o carro definitivo foi apresentado com uma série de melhorias.
     Entre elas, pára-brisas mais baixo, com desenho especial para carro, lanternas traseiras colocadas no para-lamas traseiro, portas mais amplas e fixadas de maneira mais resistente, volante da direção redesenhado, nova alavanca da caixa de mudanças com formato anatômico e bancos individuais também anatômicos.
     Foram expostos no III Salão do Automóvel dois modelos, um conversível branco com estofamento preto e outro, também conversível, porém este com uma capota rígida removível, preto com o estofamento vermelho.

Nova linha dos Super-Ford, comparecem pela primeira vez no Salão do Automóvel.

     A Ford do Brasil, expôs pela primeira vez no Salão do Automóvel a sua então nova linha dos Super-Ford, com pára-brisas panorâmicos e faróis quadruplos.
     No III Salão do Automóvel foram expostos toda a linha de produtos Ford daquela época ou seja.
     Um caminhão F-600 a gasolina e outro a diesel, um caminhão F-350, a gasolina para transporte médio.
     Quatro camionetas F-100 nas seguintes versões "pick-up"  normal, "pick-up" com cabine dupla para seis passageiros, " perua " para oito passageiros ou furgão, além destes também foi exposto um trator 8 BR diesel.

Foto do estande da Valmet no III Salão do Automóvel.
    
     Seis fábricas de tratores estiveram presentes no III Salão do Automóvel, entre elas: Massey-Ferguson, Fendt, Valmet, Ford, Deutz e Oliver.
     O publico que esteve presente, pode constatar, a magnífica realidade da indústria brasileira de tratores.
    
     No estande da Fábrica Nacional de Motores, estavam expostos um cavalo mecânico com carreta, na qual se encontrava um motor FNM para caminhão e o Alfa-Romeo "JK", que foi exibido em quatro fases do processo de montagem: carroceria e chassi, sem pintura, e já pintado pronto para o revendedor.
     No estande também foi exposto um ônibus elétrico, com conjunto mecânico da FNM, equipamentos elétricos Vilares e carroceria Massari.
     A Lambretta do Brasil S.A. também esteve presente no salão do automóvel e tinha como principal atração do seu estande a Lambretta X-175, fabricado especialmente para policias militares, rodoviárias, forças armadas e uso esportivo.
     Outros modelos que também foram atração eram a " Jardineira " e a " Feirante ", ambos com motor de 9 HP e autonomia para 275 quilômetros.
Prêmio Lucio Meira

     Paralelo ao III Salão do Automóvel aconteceu também o Prêmio Lucio Meira, voltado a descobrir novos talentos ou designers de automóveis.
    Os jurados eram compostos por nomes tais como: Farina, Ghia, Fissore e Brook Stevens.

    O primeiro prêmio foi para o projeto " Cida" do uruguaio Carlos Henrique Luciardi e o segundo ao projeto "Itapuan" do brasileiro Marcio L. Piancastrelli.
   A comissão julgadora, presidida por Francisco Matarazzo Sobrinho, pelos quatro mestres famosos e também por três técnicos brasileiros, concordou plenamente com a escolha do primeiro colocado, reconhecendo também que o nível alcançado pelos demais participantes foi elevado.
   O segundo colocado Marcio L. Piancastrelli, de Belo Horizonte também obteve sucesso, dispertando o interesse de Farina em construir o projeto " Itapuan ".
   Os demais colocados do terceiro ao sexto lugar foram respectivamente: Paulo Jorge da Silva Pedreira Cerqueira  de Salvador, Francisco José de Moraes, São Paulo, Gilson Silveira, de Petrópolis e Sérgio Ci, de São Paulo.


       Também mereceu honras o projeto " PEPE ", de Stefan Milotovic também de São Paulo.
       O primeiro prêmio foi uma bolsa de estudos de três meses no exterior, enquanto que o segundo foi o estágio de um ano na fábrica de carrocerias Ghia de Turim, oferecido pelo " carrozziere " Luigi Segre.


Showroom Imagens do Passado resgatando histórias

Fonte das Imagens: Revista 4 Rodas - Coleção Digital - ED. Dez/62 e Jan/63,
Revista Mecânica Popular - Janeiro de 1963 - Acervo Pessoal de Lindenberg Menezes Jr.
Texto baseado em informações extraídas dos dois exemplares da Revista 4 Rodas
e no exemplar da Revista Mecânica Popular.

Por favor deixe o seu comentário!
A sua opnião é muito importante para  nós.
Atenciosamente: Administradores do Blog Showroom Imagens do Passado.

Ao deixar o seu comentário por favor informe o seu e-mail


Visite a coleção digital da revista 4 Rodas.


3 comentários:

Anônimo disse...

Este blog é realmente um show! Fiquei feliz em rever parte da linha Chevrolet 1963. São registros raros.
Vou incluir o blog nos meus favoritos. Farei visitas diárias... Parabéns pelo resgate da história automobilística do Brasil.
Abs.,
Philemon

Anônimo disse...

really an eye opener for me.

- Robson

Anônimo disse...

AMEI ESSA VISITA
FALTOU SCANIA L75, O ALFA ROMEO TI E OS CAMINHÕES,
FIZ ESSA VISITA COM MINHA EX ESPOSINHA EM 63 E ESCREVI UM LIVRO SOBRE ESSE EVENTO
UMARAS
projetista67@gmail.com