Pesquise aqui os títulos do blog

Carregando...

quinta-feira, 26 de junho de 2014

DODGE CHARGER R/T 1972 - PARTE 4 - O DESEMBARQUE DOS DODGES E O COMEÇO DO PROCESSO DE RESTAURAÇÃO.


Prezados Amigos e Visitantes do Blog Showroom Imagens do Passado!

Cinza Fênix, todo imponente descendo do caminhão.
Nem a ferrugem e a sujeira conseguiram acabar
com o potêncial deste verdadeiro
 ícone da nossa indústria.
     Alguns dias depois de saírem de São Leopoldo, os Dodges chegam a São Paulo e são recebidos pelo Alexandre Badolato, um dos maiores incentivadores da preservação e da memória dos veículos produzidos pela Chrysler do Brasil.
     O R/T 72 ficou em Osasco, onde fica uma das oficinas que faz as restaurações do Museu do Dodge.
     O R/T 73 seguiu para Campinas, onde aguardaria a sua vez de ser restaurado. Obra do acaso ou não o Alexandre  Badolato acabou unindo forças junto com o Lincoln na restauração do Cinza Fênix
Os cirurgiões analisando o novo paciente
que acabava de chegar a clínica.
    Quando deixaram São Leopoldo, rumo a São Paulo, fui intitulado pelo Lincoln, como "padrinho" destes dois Dodges.
    Que ironia!
  Um fordeiro de nascimento, padrinho de dois Dodges.
    Coisas que somente o antigomobilismo pode proporcionar.
   Após a venda dos carros, acabaram surgindo novas pistas sobre a verdadeira história deles.
    Era a chance de ter a resposta de todas aquelas antigas perguntas.
O Vermelho Índio, ainda aguardaria mais um
tempo até o momento da sua restauração.
    Dentro de uma pasta, estava uma série de documentos antigos, a maioria deles do R/T 72 e algumas informações sobre o R/T 73.
    Como a história do R/T 73 era previamente conhecida, restou então investigar o passado do R/T 72.
     Apaixonado por história desde os tempos da escola, decidi por conta própria ir atrás deste passado desconhecido.
  E o que todos vão poder acompanhar daqui para frente, foi o que deixou o resgate destes carros ainda mais interessante.
    Por favor pessoal, continuem acompanhando todas as postagens sobre essa grande história.
    O primeiro passo, foi averiguar o endereço contido em um " certificado de registro "documento de licenciamento, datado em 06 de Fevereiro de 1979 , em nome de Teonilo José Giehl, localizado na rua José Bonifácio nº 870 no centro da cidade de São Leopoldo.
 
Com o endereço que constava no antigo documento,
cheguei até este edifício residencial, onde
o Sr. Teonilo residiu.

Parte daquele que provavelmente foi o ultimo documento
de licenciamento do Dodge Charger R/T 1972
Cinza Fênix.
 
    Chegando ao local foi constatado que tratava-se de um pequeno edifício residencial.
    Após conversar com uma antiga moradora do prédio, fiquei sabendo que o suposto proprietário antes dos Michel já não residia mais ali.
  Porém, neste mesmo instante, consegui conversar com a moradora atual do apartamento onde o Sr. Teonilo residiu.
    Esta me falou que o seu pai, teria comprado o imóvel diretamente dele, muitos anos atrás.
    Me disse também que este senhor teria sido um advogado da cidade e que muito provavelmente ele já teria falecido.
     Após mais algumas buscas, consegui localizar um sobrinho dele na cidade.
    Este me confirmou que o Sr. Teonilo já havia falecido cerca de quinze anos atrás, que não teve filhos e que após ter saído de São Leopoldo, acabou indo morar com uma de suas irmãs na cidade de Dois Irmãos/RS.
    Segundo consta em mais alguns antigos documentos o Sr. Teonilo, teria ficado cerca de um ano com o Dodge Charger R/T 1972.
     Questionado sobre a época que o carro havia pertencido ao seu tio, disse que lembrava vagamente, mas que não possuiria nenhuma fotografia de época do mesmo.
     A primeira busca sobre o passado do R/T 72 de um certo modo foi frustrante, reforçando a hipótese de não existir nenhum registro de época do carro.
    Nesta mesma época estava sendo feita a primeira avaliação, para saber o estado geral da estrutura do R/T 72, sendo sua restauração iniciada logo à seguir.

 R/T 72 já dentro da oficina passando pela análise.

 Assoalho bastante danificado pela ação do tempo.

 Após a remoção do vinil, foi constatado também, o real estado do teto do carro.
 

 Cenas fortes, marcaram o inicio dessa restauração, o tempo realmente foi implacável com o Charger.
 
     A restauração do Dodge Charger R/T 72 Cinza Fênix, sem sombra de dúvidas foi uma das operações mais complexas já realizadas pelos profissionais responsáveis também pelos demais carros do acervo do Museu do Dodge.
     O conceito dessa restauração partiu do princípio de reconstituir esses carro preservando o maior número de partes originais dele, ou com as que ainda sobraram.
    A primeira parte deste processo, partiu para a reconstituição da base estrutural do monobloco que foi muito danificada com o passar dos anos, partindo logo depois da parede de fogo.



 Base estrutural do carro devidamente em ordem.
 
 Sr. José, um dos artistas envolvidos nessa restauração, recuperando a lateral direita que voltaria para o carro logo em breve.
 
    Como mencionado anteriormente o conceito dessa restauração partiu do princípio de manter o monobloco com o maior número de peças originais do carro.
    As laterais traseiras por exemplo, apesar de possuírem alguns pontos danificados pela corrosão, ainda conservavam o alinhamento original.
 


    Outra parte que precisou ser substituída foi a longarina dianteiro do lado esquerdo, a mesma que foi danificada durante o acidente, pois além de ter entortado, também apresentou grandes áreas corroídas.

O adesivo de recomendação, foi instalado na concessionária onde o R/T 72 Cinza Fênix foi faturado e acabou sendo preservado.

Laterais originais instaladas novamente no carro.


    Monobloco original do R/T 72, devidamente reconstruído e salvo, pronto para encarar a segunda fase do processo de restauração.

   Tudo alinhado novamente depois de muitos anos as marcas do acidente já não existem mais.
 
 Na imagem acima, o monobloco recebendo o fundo para pintura.
 

 
    Como podemos ver, apesar do monobloco original do carro ter sido praticamente reconstruído do zero, o trabalho foi executado com muito profissionalismo, preservando muito bem o alinhamento original do carro.
     Acompanhar essa restauração à distância, foi algo que exigiu muita paciência de todos nós que esperávamos sempre por notícias.
      Mas a cada e-mail recebido, recheado de imagens a satisfação ficava cada vez maior.
 
*NA PRÓXIMA POSTAGEM!
 
A retomada das buscas da verdadeira história do Dodge Charger R/T 1972
Novas pistas, novos nomes e muitas surpresas.
A segunda fase do processo de restauração.
 
 
 
 

Showroom Imagens do Passado resgatando histórias
 
 
Por favor deixe o seu comentário!
A sua opinião é muito importante para nós.
Atenciosamente: Administradores do Blog Showroom Imagens do Passado.
 
COLABORE VOCÊ TAMBÉM!
envie suas fotografias antigas para:
 
 
SEJA VOCÊ TAMBÉM UM DOS NOSSOS SEGUIDORES!

 
Cadastre seu e-mail na coluna lateral e seja comunicado a cada nova postagem do Blog Showroom Imagens do Passado.
 
Acompanhe também a nossa página no Facebook
 
 
 


 

Um comentário:

90prata disse...

impressionante!!!
não me lembrava que esse carro estava tão ruim...
Sou o cabeludo na plataforma do guincho.(atualmente ex- cabeludo rsrs). Meu pai continua barbudo! rsrs...e meu irmão não mudou nada.
Parabéns pelo blog!!!
Abraços.

Jéssey